sábado, 1 de agosto de 2015

O dilema dos infantários

Nesta semana, com 26 semanas de gestação, aproveitámos as férias do meu J e as minhas horas permitidas para sair, para irmos visitar infantários com berçário, porque é preciso garantir que os twins têm onde ficar enquando eu voltar ao trabalho, quando terminar a licença de maternidade.

E porquê procurar infantário tão cedo, se ainda nem nasceram?
Esta foi a pergunta que eu fiz, quando soube pelas minhas amigas que deveria procurar imediatamente por infantários. Infelizmente os infantários andam sempre muito cheios, sem vagas (pelo menos é assim aqui pela capital), o que nos obriga a procurar já, durante a gravidez, para garantir que temos vaga quando precisarmos dela, e para complicar precisamos logo de 2 vagas ao mesmo tempo.

Onde procurar, à volta do trabalho ou à volta de casa?
Foi o dilema seguinte com que nos deparámos.
Escolhemos procurar à volta do sítio onde moramos. Sítios à volta do local de trabalho também seriam uma hipótese a considerar, mas aí apenas daria jeito para um de nós, visto que trabalhamos em zonas diferentes da cidade. E se por acaso o destino quisesse que tivéssemos de trocar de trabalho, depois seria complicado arranjar infantário logo na hora.

IPSS's ou infantários privados?
IPSS's são Instituições Particulares de Solidariedade Social, onde o pagamento da mensalidade é indexada ao rendimento do casal de acordo com a declaração de IRS.
Ficámos em lista de espera para 2 IPSS's, uma delas até fica na nossa rua, mas as IPSS's têm o problema de só iniciarem em Setembro (e só precisamos para Setembro do ano que vem, nem sequer é no próximo Setembro, e já havia pessoas em lista de espera!), o que nos deixa com o problema de "onde vamos deixar os bebés desde que a licença de parentalidade termina, até chegar Setembro?". Mas tem como vantagem o horário: é óptimo estarem abertas até às 19.30 (nos infantários privados normalmente é preciso pagar um suplemento para conseguir este horário) o que é bom para quem trabalha na capital e tem de passar por vias com trânsito intenso para fazer o percurso casa->trabalho->casa, o que significa que nunca sabemos quanto tempo levamos a chegar a casa. E se houver acidente nessas vias, piora tudo e entope todas as estradas à volta e é um martírio conseguir regressar a casa. E os privados aproveitam-se disto, claro.

Muitos infantários fecham em Agosto. É mais uma das coisas a ter em conta quando se procura um infantário.

Vimos infantários privados, caríssimos, que até me dava vontade de dizer "eu quero andar aqui, isto é uma maravilha", mas por causa do preço ficam de fora da nossa lista de escolhas. Uma coisa é procurar vaga para 1 criança, e até se consegue fazer uma ginástica no orçamento familiar para pagar algo melhor e mais caro, mas logo para 2 ao mesmo tempo... não dá.

O nosso plano
Será entrar num infantário privado "acessível" (teremos de fazer inscrição num privado brevemente, só para garantir as 2 vagas que serão necessárias antes de sabermos se fomos colocados na IPSS) e se não conseguirmos entrar na IPSS, iremos continuar no privado e concorrer à IPSS todos os anos. Aos 4 anos, tiraremos partido da nova lei que garante o acesso ao pré-escolar no público, a todas as crianças.

3 comentários:

  1. Deixo-te a minha experiência dos 2 filhotes e mais a baby a caminho.Quando estava grávida do Rodrigo à 10 anos atrás, consegui vaga no colégio pretendido por intermédio de uma amiga, a sala dos bebés só podia ter 8 bebés e a preferência era para irmãos. Inscrevi o R. como sendo primo do menino da minha amiga, para ficar com a vaga dela quando ele fosse para a sala a seguir. Isto antes dele ter nascido sequer, e 10 meses antes de ele ir efetivamente para o colegio.
    Com o irmão já teve preferencia e vaga por ser irmão, mas só foi para o colegio em Dezembro, mas tive de pagar Setembro, Outubro e Novembro! Porque se estava a ocupar a vaga tinha de pagar.
    Agora, já inscrevi a Caetana, que só nasce em Outubro para ter vaga em Março do ano que vem, e em Setembro vou pagar a inscrição! Não vou ter de pagar as mensalidades até lá. Menos mau!

    Após acabar a licença de maternidade é complicado arranjar um sitio com qualidade e de máxima confiança para deixar os bebés. E para mim agora é requisito que fiquem os 3 no mesmo sitio!

    O mês de Agosto é sempre mais uma ginástica em que recorro á família, a escola fecha e eu consigo no máximo 3 semanas de férias. Os restantes dias são para dividir pelo resto do ano, para quando as escolas fecham no Natal, Carnaval ou Pascoa.

    Não é mesmo fácil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  2. Neste momento... Toda eu me coço... Infantário mulher de Deus???? O termo correto é Jardim de Infância em Português.... É que Infantário é um termo tão mau que te explico quando tivermos juntas XD. Btw se quiseres depois doute dicas do que deves procurar quando pesquisar sobre uma creche, ou estas esquecida que para todos os efeitos sou educadora? XD PS: sim hj tinha a conta do gmail ligada ahahahah

    ResponderEliminar